Ciganos do Mar: Tribo em Bornéu vivem em seu pequeno paraíso

Alguém já ouviu falar no povo Bajau, também conhecido como "ciganos do mar"? A maioria vive em Bornéu, uma grande ilha localizada na Ásia. Eles vivem em barcos ou palafitas acima da água do mar e, geralmente, nascem, vivem e morrem por lá, o que lhes rendeu a fama de mergulhadores impecáveis: alguns pescadores mais experientes conseguem mergulhar a 20 metros de profundidade e ficar até cinco minutos sem respirar (enquanto a maioria das pessoas precisa de ar após 30 ou 40 segundos)!
Muitos vêm à terra para viver em pequenas ilhas, mas continuam desenvolvendo seu perfeito conhecimento dos oceanos, enquanto vendem seus peixes em pequena escala.
Ah, eles não sabem ler, escrever, não tem noção de tempo e nem sabem a idade de nenhum integrante: o tempo não importa muito para eles, apenas o presente conta!

Réhahn, um fotógrafo francês, passou alguns dias com alguns ciganos do mar. E o que ele ganhou com isso? Um profundo sentimento de paz e serenidade que emerge desse lugar, dessas pessoas que não têm nada em comum com as nossas vidas e que vivem só para e pela água.

Além de ter conseguido captar essas imagens incríveis, claro:


A vida está organizada em torno da pesca, a tribo não tem conhecimento de leitura ou escrita.


O povo Bajau, sãos nômades do mar, não são reconhecidos e aceitos pelos países vizinhos, mas estão lá por escolha: a escolha de viver no paraíso, seu próprio pequeno paraíso.


Eles não sabem a idade exata de ninguém: o tempo não importa muito para eles, apenas o presente conta.



Independentemente da idade, cada um encontra sua função na pesca.


Mulheres dão à luz em cabana sobre palafitas. A maioria dos Bajau nascem, vivem e morrem em suas terras.


As crianças mais novas estão sempre nos barcos, aprendendo a mergulhar ou nadar, até atingirem o conhecimento suficiente para iniciar na pesca.





você também vai gostar:

Viagem
Comentários
0 Comentários

Somos apaixonados por locais, sabores, aromas, formas e cores.

Tem alguma crítica ou sugestão? Algo que queira falar para a equipe do Confesso que Fui?

Manda um e-mail que responderemos assim que possível!


confessoquefui@outlook.com