O 5Pointz Aerosol Art Center, em Long Island

O 5Pointz era um espaço ao ar livre de exposição de arte na 45-46 Davis Street, em Long Island - Nova York, onde murais coloridos eram exibidos nas paredes da parte externa de um antigo armazém, desenhados por artistas de todo o mundo. 
O espaço graffiti foi concebido por Jonathan Cohen, um artista de rua que assina sob a alcunha de "Meres". A partir daí, o espaço foi ganhando destaque, visibilidade e, com sua reputação como um epicentro da cena do graffiti, o complexo industrial abandonado começou a receber desenhos de 'artistas do aerossol' de todo o mundo. Até mesmo o famoso artista de rua britânico Banksy já passou por lá.

Como a construção é bastante visível no local, não demorou para atrair um grande número de visitantes, incluindo artistas de destaque, músicos, cineastas, fotógrafos e ônibus de excursão cheio de admiradores loucos para admirar os mais de 1.500 murais. O local é conhecido em guias estrangeiros como a mais badalada atração turística do Queens. O edifício serviu inclusive de cenário para alguns filmes e clipes.


Infelizmente, o Pointz não existe mais :(  Ele foi demolido em 2014 após seu proprietário decidir fazer uma 'melhor utilização' da propriedade negligenciada e construir um condomínio.

O armazém de cinco andares, que serviu de destino turístico de arte em todo o mundo, foi - literalmente - apagado do mapa. Jonathan Cohen, que entrou em cena em 2002, foi a pessoa que deu o nome "5Pointz", que significa os cinco distritos de Nova Iorque, juntos num só espaço. Cohen tinha planos para converter o edifício 5Pointz em um museu do graffiti, mas antes que pudesse fazê-lo, o verdadeiro proprietário mudou de ideia.

O espaço foi convertido num megacondomínio. O projeto de remodelação custou que $ 400.000.000 incluiu um novo parque público, shopping e um garagem.


Na manhã de 19 de novembro de 2014, os amantes da arte ficaram horrorizados ao encontrar o edifício sem ilustração alguma. Todas foram cobertas com uma tinta branca. Ressentimento e crítica seguiu acompanhados por protestos e manifestações e as palavras "Art Murder" foi pulverizada no local. A ação foi comandada pelos grafiteiros, alegando que seu trabalho foi protegido sob a Lei de Direitos Visual Artistas, mas um juiz de Nova York recusou conceder uma liminar que cancelaria a demolição. Os artistas ainda tentaram nomear o edifício como um marco, mas também foi rejeitada com o fundamento de que a arte tinha menos de 30 anos de idade na época.

Jerry Wolkoff, o proprietário do espaço,  prometeu fazer as pazes, criando um espaço no novo edifício para ser usado exclusivamente para painéis de arte. Mas Jonathan Cohen não ficou satisfeito. 

"Aquelas paredes permanecerão brancas. Nenhum artista nunca vai pintar em qualquer coisa que você possui de novo ", respondeu, e depois acrescentou:" Eu espero que ele seja feliz. Ele destruiu a obra de arte que era a maior atração turística em Queens. Eu não me importo que ele construa o edifício mais alto de Nova York, ninguém vai lembrar dele por nada disso. "














O prédio no dia em que apareceu completamente apagado e sem graça :(


você também vai gostar:

Pelo Mundo
Comentários
0 Comentários

Somos apaixonados por locais, sabores, aromas, formas e cores.

Tem alguma crítica ou sugestão? Algo que queira falar para a equipe do Confesso que Fui?

Manda um e-mail que responderemos assim que possível!


confessoquefui@outlook.com