Rota dos Quadrinhos em Bruxelas

Em Bruxelas, capital da Bélgica, exite uma rota chamada de 'Comic Book Route', um caminho que leva você ao longo de vários muros e edifícios da cidade, principalmente nos bairros de Laeken e Auderghem, onde grandes murais estão com os personagens de desenhos animados franco-belga mais famosos - Tintin, Smurf, Asterix, Lucky Luke, Gaston, Gil Jourdan e muitos outros. O projeto, que começou em 1991, foi iniciado pelas autoridades locais em colaboração com o Belgian Comic Strip Center para comemorar a longa relação da Bélgica com as histórias em quadrinhos que, aliás, são o orgulho do país!




Com mais de 700 autores de quadrinhos, a Bélgica tem mais artistas dessa categoria por quilômetro quadrado do que qualquer outro país do mundo. Na capital belga, você pode encontrar dezenas de lojas especializadas, estátuas, pinturas murais, bares e museus dedicados à arte. Em nenhum outro lugar no mundo os quadrinhos são tão fortemente enraizados na realidade e na imaginação das pessoas.

A Bélgica e os Quadrinhos


A primeira produção em grande escala de quadrinhos na Bélgica começou na segunda metade da década de 1920. Durante este período, a Bélgica presenciou a criação de muitas revistas para jovens como Zonneland e Petits Belges.

Um dos primeiros quadrinhos belgas foi As Aventuras de Tintin, de Georges Prosper Remi, mais conhecido como Hergé, que foi publicado em 1929. Em 1934, o húngaro Paul Winckler fez um acordo com o King Features Syndicate e começou a publicar as aventuras de Mickey Mouse e outros personagens da Disney em sua revista juvenil Le Journal de Mickey. O sucesso desta iniciativa inspirou outras editoras a publicarem periódicos com séries americanas. Isto continuou durante o resto da década, com centenas de revistas de  material importado. 

Quando a Segunda Guerra Mundial começou, tornou-se impossível importar quadrinhos norte-americanos. Isto criou uma oportunidade para que muitos jovens artistas começassem a trabalhar no mercado de ilustração e animação. No início, eles continuaram histórias americanas inacabadas com as fo Superman e Flash Gordon, mas depois começaram a criar seus próprios heróis e histórias. Ao longo dos próximos 50 anos, apoiado por dezenas de editoras, o mercado de quadrinhos nacional começou a amadurecer.


Hoje, os quadrinhos franco-belgas foram traduzidos na maioria das línguas europeias, enquanto algumas séries como Lucky Luke, Os Smurfs, Asterix e Tintin, são de sucesso mundial.

E a Comic Book Route comemora esses personagens (e muitos outros) através de mais de 50 murais pelas ruas. Vale a pena pena passear pela rota, mesmo se você não for um fã de quadrinhos!
Seguir o seu percurso é uma ótima maneira de descobrir a capital.

Enjoy!














você também vai gostar:

Pelo Mundo
Comentários
0 Comentários

Somos apaixonados por locais, sabores, aromas, formas e cores.

Tem alguma crítica ou sugestão? Algo que queira falar para a equipe do Confesso que Fui?

Manda um e-mail que responderemos assim que possível!


confessoquefui@outlook.com